BLOG

Fotografia Outdoor e o “Santo Filtro Polarizador”

20 de Junho de 2016

Olá amigos fotógrafos! No post anterior, onde eu falava sobre como tirar melhor proveito da luz natural, citei que alguns filtros podem ajudar bastante a ressaltar a beleza de uma paisagem. Um deles é o Filtro Polarizador Circular, também chamado de PLC ou CPL, sua sigla em inglês. Este é o tema desta postagem.

Taí um filtro que praticamente não sai da minha lente, quando fotografo paisagens. Eu diria que o polarizador é quase um filtro milagroso, qual sua eficiência na remoção de reflexos indesejados e incremento na saturação das cores e melhorando contrastes, sobretudo no azul e verde. Portanto, para a fotografia outdoor, seu uso é quase uma regra!

Vamos à teoria: o PLC é um filtro de vidro enroscado à frente da objetiva que permite ser girado em 360 graus. É composto por dois anéis, sendo que o anel externo desliza sobre o interno.

Filtro polarizador circular (Foto Adriano Hamaguchi)

Filtro polarizador circular (Foto Adriano Hamaguchi)

Para cada ângulo que você girar a parte móvel, os resultados serão diferentes, pois as ondas eletromagnéticas (lembre-se da aulinha de física em que aprendemos que a luz é uma onda deste tipo ? ) vão sendo filtradas e polarizadas, resultando no bloqueio dos reflexos nas superfícies não metálicas.

Comparativo de imagens de um lago e árvores ao fundo fotografados com filtro polarizador em diferentes ângulos (Foto Olivia Speranza)

Comparativo de imagens de um lago e árvores ao fundo fotografados com filtro polarizador em diferentes ângulos (Foto Olivia Speranza)

Seu custo não é muito alto, podendo ser facilmente encontrado em lojas de fotografia aqui no Brasil. Vale a pena procurar pelos melhores fabricantes, como Hoya, Nikon, Tiffen, B+W, Singh-Ray ou Lee, pois os mais baratos podem apresentar perda de nitidez e distorções cromáticas. Observe antes de comprar qual o diâmetro da rosca da lente em que você pretende usar o filtro, pois os eles são construídos nominalmente aos diâmetros das lentes em que serão enroscados. Até existem adaptadores, permitindo um único filtro em diferentes diâmetros de objetivas, mas não são comuns, eu mesmo nunca vi pessoalmente.

Utilizo o filtro polarizador com frequência para a remoção de reflexos em superfícies não metálicas, como vidro e água, de modo a revelar o fundo de um rio de águas límpidas, por exemplo. Também para intensificar o azul de um céu e o verde de uma mata, pois ao retirar os reflexos, o resultado é um impressionante ganho de vida nas cores destes temas.

Uma coisa muito importante a ser dita é: os efeitos alcançáveis com um filtro PLC não podem ser obtidos com manipulação de imagens em softwares como Lightroom ou Photoshop. Isso porque os reflexos ocultam partes da imagem e não é possível manipular algo que o sensor da câmera não tenha captado.

Note a ausência de reflexos do céu na água. Apenas um discreto reflexo da água da cascata é apresentado.

Note a ausência de reflexos do céu na água. Apenas um discreto reflexo da água da cascata é apresentado.

Sem o uso do filtro seria impossível visualizar com clareza as rochas submersas

Sem o uso do filtro seria impossível visualizar com clareza as rochas submersas

Mas existem algumas limitações: sua eficiência não é muito boa em determinados ângulos de incidência da luz, como nas luzes mais inclinadas, à frente da lente. Em dias muito nublados o aumento da saturação pode deixar as fotografias muito escuras, com sombras ainda mais marcadas. Outra coisa é que perde-se luz quando instalado, em média 2 f-stops. Mas isto pode até ser positivo, em alguns casos, como fotografando uma cachoeira, em que é adequado reduzir a luz ambiente. O uso de um tripé ou aumento do ISO pode compensar esta perda de luz.
Há outro problema associado a seu uso, que no meu ponto de vista é realmente um ponto bem negativo e compromete algumas fotos: quando utilizado em lentes grande angulares (quanto mais GA, pior), tende a não conseguir polarizar toda a cena enquadrada e deixar tonalidades diferentes, como manchas na imagem. Isto acontece especialmente nos casos de céu azul, onde a cor do céu irá variar de branco a azul, ocasionando um degradê indesejável. Uma forma de atenuar tal problema é aumentar mais a distância focal. Ou seja, aplicando mais zoom à lente.

Efeito colateral em grande angular

Efeito colateral em grande angular

Bem, apesar de algumas contra indicações, o filtro polarizador circular é um grande parceiro da maioria dos fotógrafos de paisagens, possibilitando com simplicidade na utilização, aplicação de efeitos realmente interessantes. Fica a dica. Comprem já um PLC e mãos à obra!

O uso do filtro intensificou o azul do céu e tons verdes do rio e vegetação

O uso do filtro intensificou o azul do céu e tons verdes do rio e vegetação

Com a supressão dos reflexos toda a cena ganha mais vida.

Com a supressão dos reflexos toda a cena ganha mais vida.

Nas proximidades de meio dia o sol está a pino, permitindo uma polarização maior, o que enfatiza o azul celeste

Nas proximidades de meio dia o sol está a pino, permitindo uma polarização maior, o que enfatiza o azul celeste

Fotografia Sem filtro PLC - perceba os reflexos na água, pedras e mata

Fotografia Sem filtro PLC – perceba os reflexos na água, pedras e mata.

Fotografia Com filtro PLC - note a supressão dos reflexos e ganho estético na imagem

Fotografia Com filtro PLC – note a supressão dos reflexos e ganho estético na imagem.

 

Comentários

Categorias: Acessórios, Blog, Equipamento fotográfico, Técnica
Tags: , ,

busca

arquivos

newsletter

instagram